segunda-feira, 1 de Fevereiro de 2010

Túnel da Luz: as imagens que ninguém quer ver


Pelofutebol, é urgente mudar o artigo 18.º, nº 6 do regime Jurídico do Combate à Violência, ao Racismo, à Xenofobia e à Intolerância nos espectáculos desportivos.

Porquê? Pela verdadeira transparência!

No meio de todo este lodo, que tem preenchido as primeiras páginas dos jornais desportivos e não só, descobri porque é que as imagens das agressões no Túnel da Liz (referentes a 2008) não são válidas para qualquer processo de acusação.

Até Agosto de 2009, todas as imagens de sistemas de vigilância de recintos desportivos podiam funcionar como meio de prova. No entanto, a Lei mudou.


De uma forma muito resumida e em liguagem simples, a Lei diz que aprova o acesso às imagens por parte do organizador desportivo (neste caso: o Benfica) para os fins exclusivamente disciplinares previstos na presente Lei. Então, mas que nova Lei é esta?

É aquela que permite o uso das imagens para castigar apenas os clubes envolvidos, com aquelas multas que vão dos 500 aos 2500 euros.

Os jogadores, técnicos ou outros elementos envolvidos em agressões ficam à mercê dos relatórios dos árbitros, aqueles que dão pelo nome de Lucílio Baptista, Bruno Paixão, João Ferreira...Enfim, dava uma bela colecção.

É verdade que os delegados também fazem o seu papel no meio disto tudo. São aqueles que não dão notas abaixo de 8, nomeadamente, aos ilustres supracitados. Mas também fazem outras coisas giras. Recuem no tempo e explorem.

Ou então, as forças policiais, mas com a xenofobia que anda por aí (e existem relatos disso mesmo neste caso), eu já não meto as minhas mãos no fogo. Vocês metem?

Na minha terra, costuma-se dizer que uma imagem vale mais que mil palavras. Antes eram válidas, agora não servem? Mas porquê? Os jogadores ficam distorcidos?





Bem, depois do jornal ABola ter crucificado Helton, Fucile e Rodriguez, acusando-os de agressões no caso do Túnel da Luz (versão 2.0) com base nas imagens, recentemente, divulgadas pela SIC e pelo próprio jornal ABola, se calhar compreendo porque é que mais vale ignorar as imagens e entregar a pasta a gente mais séria - os tais árbitros, delegados e agentes policiais.

Por tudo isto, é caso para dizer: Quando o Futebol não tem juízo, o povo é que paga.

sexta-feira, 15 de Janeiro de 2010

A Selecção que também é gente


Pelofutebol, os LES EPERVIERS (como é apelidada a Selecção Nacional do Togo) devem ter presença garantida na próxima edição da CAN.
O tiroteio de que foi alvo o autocarro da equipa foi um acto simplesmente surreal (ou talvez não...como isto anda). Entre mortos e feridos, fica o sofrimento dos sobreviventes e dos familiares das vítimas, que apenas queriam disputar uma partida de futebol. A própria família do futebol tem de estar de luto. O acontecimento foi suficientemente noticiado, mas a competição prosseguiu quase como se nada tivesse acontecido e os golos festejam-se como nunca.
Reacções objectivas? Nenhumas. Apenas conformação. Da FIFA apenas isto: "A FIFA e o presidente Joseph Blatter estão profundamente comovidos pelo incidente que atingiu a Selecção do Togo". Comovidos. Que palavra gira.
É verdade que a vida tem de prosseguir. E está mais que visto que a Lei em África é um pouco à base do salve-se quem puder. Como até nem foi o Adebayor a morrer, nem vale a pena mencionar o nome das vítimas. Ninguém conhece, ninguém se interessa (é um pouco a imagem que passa).
Mas os responsáveis pelo futebol têm de se interessar. Devem dar o exemplo e concretizar em actos as palavras de apoio vindas de jogadores e treinadores adversários. Esses sim, pareceram realmente sentidos.
Como a Selecção do Togo se viu arredada de disputar a CAN 2010, até nem era favor nenhum garantir a sua presença na próxima edição. Neste momento, não consiste numa preocupação. Mas já era um começo.

segunda-feira, 28 de Dezembro de 2009

O enteado Paulo Bento e o filho Carvalhal

Os presentes de Paulo Bento


Os presentes de Carvalhal.

P.S. Dos jogadores da era Carvalhal, apenas Mexer, Sinama-Pongolle e João Pereira estão confirmados. Entre interesses declarados (Ruben Micael, por exemplo) e hipóteses veinculadas pela imprensa, uma coisa é certa: afinal existe dinheiro.
Onde estava o Sporting quando a época começou?

segunda-feira, 23 de Novembro de 2009

Tottenham cilindra Wigan por 9-1


Pelofutebol, o Tottenham marcou 9, isso mesmo, 9 golos em 90 minutos num jogo a contar para a Premier League. A vítima dá pelo nome de Wigan, que conseguiu sofrer oito golos só na segunda parte.
Não há memória de um resultado tão desnivelado, pelo menos a contar para o principal escalão de uma das mais exigentes provas a nível de clubes (depois do SL Benfica 8-1 Vitória de Setúbal, pensava que já tinha visto tudo). Jermaine Defoe foi o herói dos Spurs ao apontar cinco golos.

Marcha do marcador - 1-0 por Crouch (9'), 2-0 por Defoe (51'), 3-0 por Defoe (54'), 3-1 por Sharner (57'), 4-1 por Defoe (58'), 5-1 por Lennon (64'), 6-1 por Defoe (69'), 7-1 por Defoe (87'), 8-1 por Kirkland (88', p.b.) e 9-1 por Kranjcar (90').

Vejam a festa do golo:

video

domingo, 15 de Novembro de 2009

Sub-17: FC Porto goleia SC Covilhã por 9-0


A formação de Sub-17 do FC Porto recebeu no Vitalis Park o SC Covilhã e venceu por 9-0. Foi um jogo fácil para os campeões nacionais, mas valeu por algumas exibições individuais interessantes.

Há muito muito que existe qualidade nos jovens portuguesese e, ao que parece, parece haver uma aproximação à formação por parte dos nossos principais clubes, nomeadamente, do FC Porto. Os Juvenis têm sido um bom exemplo para os portistas. Foram campeões nacionais (com um registo imaculado) e os que transitaram para os Sub-19 têm entrado na equipa - Sérgio Oliveira e Amorim pegaram de estaca.

O actual plantel dos Sub-17 do FC Porto é composto (essencialmente) pelos jogadores que transitaram do Padroense. Pedro Emanuel foi o treinador eleito e tem dado conta do recado. A equipa tem vencido os jogos sem grande dificuldade (salvo raras excepções) e cedeu apenas um empate com o rival Boavista FC. Hoje, cilindrou o Covilhã.

Destaque: Catarino - É o jogador que aparece em destaque na fotografia. Não jogou os últimos dois jogos do FC Porto, mas hoje reforçou o estatuto de jovem promessa do futebol português. É internacional e uma das principais referências dos dragões. Apesar do jogo não ter sido propício a grandes exigências, Catarino demostrou um ritmo competitivo acima da média e muita qualidade nas decisões. Apontou dois bons golos e um terceiro excelente, embora tenha sido anulado por fora de jogo. A velocidade e o arranque são o principal trunfo deste extremo goleador.

Bruno Alves dá a vitória a Portugal

Portugal venceu a Bósnia com um golo solitário de Bruno Alves, aos 31 minutos. O resultado de 1-0 não garante a eliminatória, longe disso, mas ficou patente a superioridade lusa.

Portugal teve 45 minutos de domínio quase absoluto, salvo algumas investidas dos Bósnios (que têm qualidade). Chegou a ter momentos de pressão interessantes e recuperou várias bolas no meio campo adversário. Faltou algum acerto no último passe. O golo de Bruno Alves foi um prémio justo, para a equipa e para o jogador, que foi o central preterido contra a Malta (a dupla foi Pepe e Ricardo Carvalho). Para mim, é o central português que mais tem justificado a titularidade na Selecção neste momento. Mas é só a minha opinião pessoal. Discutível, portanto.

A segunda parte foi diferente. As opções de Queirós não influenciaram positivamente a equipa. Dei por mim a pensar que o título de uma notícia do Maisfutebol* traduzia uma crítica do Pepe às opções do treinador. Mas não foi só isso. A equipa quebrou fisicamente e uma bocado como consequência, também quebrou amimicamente. Há momentos em que custa a perceber, mas aqui o factor "eliminatória" pesou.

Momento do jogo: Minuto 90 - Remate de cabeça de Dzeko à barra e na recarga, Muslimovic remata ao poste.
Por tudo que Portugal tinha feito até então, vou optar por dizer que o aviso está dado.


*A propósito do flash-interview do Pepe - "Custou a perceber a mentalidade do mister, mas agora estamos fortes" (entretanto acrescentaram o "bastante" antes do "perceber", o que já lhe dá uma conotação diferente)

quinta-feira, 12 de Novembro de 2009

O fenómeno Villas Boas


Espantoso! Não o consigo descrever de outra forma. André Villas Boas arrisca-se a ser o próximo fenómeno do nosso futebol.

Com apenas 32 anos e três jogos como treinador principal no currículo, o nome do actual técnico da Académica surge como forte hipótese para substituir Paulo Bento no Sporting CP.

Uma derrota honrosa no Dragão (3-2), uma vitória auspiciosa na recepção ao Vitória de Guimarães (2-0) e um empate imerecido na última jornada em Leiria com os leirienses a marcarem no último minuto (1-1). É um saldo interessante e a somar às "costas bem quentes" que tem, até admito a cobiça do Sporting CP como um cliché típico do futebol português, e no qual o Sporting até gosta de desempenhar um bom papel.

Como alguns costumam dizer: é um "all in". É capaz de ser interessante, mas neste momento penso: ao ponto ao que chegou o Sporting CP...